terça-feira, 11 de dezembro de 2018

AQUAMAN: As Profundezas

Esse encadernado, lançado em 2015, reune as seis primeiras edições de Aquaman (Novos 52 - 2011), o grande Geoff Johns no roteiro e com a fantástica arte dos brasileiros Ivan Reis e Joe Prado!

Arthur Curry, Aquaman, vivendo na superficie, sendo desprezado e desrespeitado por varios humanos, vive pacíficamente com Mera, no farol de seu pai. Quando são surpreendidos com um chamado de um policial que pedia ajuda sobre um massacre acontecido em em Beachrock, uma cidadezinha da costa que fica próxima ao farol. E então, somos apresentados a uma nova ameaça, criaturas monstruosas, desconhecidas até mesmo por Aquaman e Mera, vinda das profundezas do Atlantico, um lugar conhecido como Fossa. As criaturas começaram a matar e abduzir humanos após atacarem um barco pesqueiro e o porto da cidade, Aquaman e Mera partem rumo à desconhecida e profunda Fossa, onde descobrem segredos sobre o passado de Atlântida e seu povo. E Aquaman precisa fazer uma escolha sobre a sobrevivência de uma das espécies, as criaturas ou nós. 

Um excelente arco, um dos melhores títulos dos Novos 52 (na verdade, uma das pouquíssimas coisas boas dessa fase da DC) que nos mostra uma história sombria e direta, que te prende o tempo todo e termina com um mistério que nos faz querer continuar lendo cada vez mais. Sem contar a ja citada, fantástica arte dos brasileiros Ivan Reis e Joe Prado, que fazem um trabalho primoroso nas HQ's do Aquaman!
[Este post será atualizado ainda esta semana, com o segundo encadernado, chamado "Aquaman: Os Outros"! Fiquem ligados!]

Vale ressaltar, que esse encadernado é bem dificil de encontrar, pois esgotou em todos os lugares pouco tempo depois que foi lançado e atualemente é raro (e caro) encontrar algum. 
É item de colecionador! E vale muito a pena conferir! 
Edições de 1 a 6

Para visualizar as HQ's, o Universo Degenerado recomenda o programa CDisplay

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

ORIGEM (Wolverine)

A história começa no final do Século XIX, em Alberta, no Canadá. Rose, uma jovem orfã que chega à mansão dos Howlett, é acolhida por John Howlett, chefe da familia, para trabalhar como tutora e servir de companhia para seu único filho e herdeiro, James. John queria amenizar carga de tragédias ocorridas em sua vida marcada pela morte de seu primeiro filho, o que causou a insanidade de sua esposa e repúdio de seu pai, o patriarca da família. Até então a única criança por perto era Cão, filho do capataz da fazenda, um violento e rancoroso homem chamado Thomas Logan.

Com o passar dos anos Rose, James e Cão tornam-se grandes amigos, compartilhando alegrias da infância. Mas na medida em que a adolecência se aproxima, problemas começam a surgir e acabam desencadeando uma série de eventos que ja eram de se esperar desde o início.


Uma história surpreendente que mostra a verdadeira origem de Wolverine desde a sua infância até a descoberta de sua incrivel mutação. Imperdivel para quem ainda nao conhece e essencial para quem é fã do personagem! 
Mini-série completa em 6 capítulos divididos em 3 partes.

DOWNLOAD:
PARTE 1 - O DESPERTAR DA FERA
PARTE 2 - CÉU E INFERNO
PARTE 3 - REVELAÇÕES


Camisetas personalizadas com estampa artesanal: HANDMADE NERD!
Instagram: @handmade.nerd

quarta-feira, 11 de julho de 2018

HOMEM-FORMIGA E A VESPA - Resenha!

Por: Ricardo Pagliaro Thomaz - A Ciência da Opinião

Eu sabia que seria divertido, mas não sabia que seria assim tão divertido! Olá a todos, e vamos novamente de Marvel, falando do novo filme do MCU, Ant-Man And The Wasp. Olhem, eu tinha altas expectativas para o segundo filme do Deadpool, porém, o novo filme do Homem-Formiga é que fica sendo o filme mais divertido e engraçado de quadrinhos em 2018... ao lado deste aqui do Batman que saiu no começo deste ano, é claro!

O filme faz alusão aos eventos que aconteceram em Captain America: Civil War, quando Scott lutou na grande batalha envolvendo Steve Rogers, Tony Stark e suas trupes... e foi preso no processo. Caramba, foi a tanto tempo! Foi o início da terceira fase do MCU, de volta em 2016! Enfim, desde esta aventura, Scott tem usado tornozeleira eletrônica e ficado em prisão domiciliar! Olha, já pode se considerar um político brasileiro! E ainda disseram que o FBI o liberaria depois de dois anos de pena! Já pode se considerar um petista! TÔ BRINCANDO! Apesar das semelhanças, o Scott não é bandido! Mas não deixa de ser malandrão, mesmo que pelas razões certas.



Enfim, ele acaba trapaceando os agentes do FBI e usando uma formiga mutante gigante que faz a mesma rotina dele em casa para dar uma escapadinha e cumprir uma missão junto de sua parceira Hope, que é novamente interpretada pela atriz Evangeline Lilly, a eterna Kate Austen de Lost. Aqui, Hope retorna como a heroína Vespa, parceira do Scott nas missões, ganhando atributos que o Scott não tinha... muitos atributos! Asas, lasers, e... hehehe, bem, um detalhe na roupa que foi bastante comentado na Internet... só olha a figura ao lado! Duvido que tenha sido sem querer! Sério, duvido mesmo!

Mas como eu não estou aqui para medir tamanhos de detalhes na roupa, vamos dizer apenas que a Vespa também tem um drama na história, relativo a sua mãe, Janet, e pai, Hank Pym, os primeiros Homem-Formiga e Vespa. A mãe de Hope, aqui interpretada pela eterna Mulher-Gato, Michelle Pfeiffer está sensacional também. O problema é que no início da história, ela salva todos aceitando ficar num estado de encolhimento quântico que diziam ser impossível de reverter. Assim, a mãe dela é dada como morta e isso dura anos, até que Hank começa a achar que sua esposa pode estar viva de novo.

Paralelo a isso, há uma vilã na história, Ava, também conhecida como Ghost, porque ela tem a habilidade de se desmaterializar, atravessando paredes e evitando golpes diretos. Como ela quer voltar a seu estado original, ela se alia a um ex-colega de Hank, Dr. Bill Foster, interpretado pelo eterno Morpheus de The Matrix, Laurence Fishburne.

Achei esquisito essa contratação: se Fishburne está fazendo o Perry White nos filmes da DC, pode ele atuar também como um personagem na Marvel Studios, mesmo que menor?

Enfim, todos se encontram e rola essa trama bacana do Scott ajudar a Hope a resgatar a mãe dela, enquanto eles combatem essa ameaça da mulher-fantasma. Está pronto o cenário para todo tipo de situação cômica que você puder pensar com esses personagens.

Uma das mais engraçadas é quando o Scott aumenta de tamanho porque o traje dele está com defeito. Isso dá vazão pra ele bancar o gigantão no meio da cidade. É hilário, especialmente quando ele tenta recuperar o quartel general encolhido das mãos do outro vilaozão, o Sonny. Tem também a invasão à escola do Scott, aí ele reduz de tamanho e fica parecendo um moleque de 6 anos; o gozado é quando ele chega na van e o Hank tira uma casquinha dele: "oi bolachinha, como foi a escola hoje?" Eu não me aguentava de rir! Tem também as cenas hilárias do Michael Peña, fazendo novamente o Luis, aquele cara meio doidão que começa a contar aqui como conheceu o Scott, sob o efeito de um soro da verdade (que não é soro da verdade segundo o capanga vesgão estilo Bond-villain). É muito hilário! O lance da bruxa Baba Yaga também foi insanamente cômico! É aquele humor exageradão da Marvel, mas as piadas aqui são bem colocadas, e a coisa é pra se parecer com uma comédia mesmo, ainda mais pelo personagem em questão.

Ou seja, o que você tem no fim das contas é mais uma comédia de super-herói com o selo Marvel de qualidade. Mas desta vez uma boa de verdade, que causa risadas fáceis. Peyton Reed, diretor do primeiro filme acerta de novo e faz uma sequência bem divertida. Eu já havia gostado muito do primeiro filme do Homem-Formiga, este aqui então aproveitou que os personagens já foram devidamente apresentados para brincar com várias possibilidades! A cena do Stan Lee no filme também é bem engraçada, não a mais célebre de suas aparições, mas bem legal, vale a pena.

E se você, assim como eu, assistiu Avengers: Infinity War e estava esperando aquela referência do estrago que o Thanos fez no filme dos Vingadores, aguarde a cena entre-créditos, porque alguns personagens não vão se sentir muito bem até lá! O Scott não participou do filme dos Vingadores, e não foi a toa, eu creio que ele terá um papel pivotal na reconstrução deste universo da Marvel na segunda parte. Aguardem! Não percam também a piada final após os créditos acabarem!

Em linhas gerais, mais um grande... digo... pequeno... ou seria "pequeno grande"?... ah, não importa... mais um filme divertidíssimo da Marvel e que vale muito a pena conferir! Toda aquela graça que a gente estava esperando em Deadpool 2 está aqui. Talvez esta tenha sido a única coisa que eu estranhei. De resto, compre pipoca grande, refri, sente na cadeira e cuidado para não engasgar entre as risadas! Divirtam-se!

Ah sim, ia me esquecendo: a formiga do primeiro filme teve uma função de grande... ou pequena... ou gran... enfim, teve uma função importante aqui! Sim, sim, aquela formiga que eu mencionei na resenha do primeiro filme! Já viu uma formiga tocando bateria? Pois é, tem isso aqui! Espere só pra ver!

Ant-Man And The Wasp (2018)
Produção: Stephen Broussard, Kevin Feige, Stan Lee, Mitchell Bell, Louis D'Esposito, Lars P. Winther, Victoria Alonso
Roteiro: Chris McKenna, Erik Sommers, Paul Rudd, Andrew Barrer, Gabriel Ferrari (baseado em personagens e histórias criados por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby)
Trilha sonora: Christophe Beck

quinta-feira, 5 de julho de 2018

X-MEN: Deus Ama, o Homem Mata

Uma fabulosa Grafic Novel lançada em 1982, aborda um tema um tanto quanto sério em relação às outras HQ's regulares dos X-Men, e mostra como o poder da palavra pode manipular e influenciar muita gente. William Striker, um pastor evangélico que prega em seu programa de TV o extermínio dos mutantes pois na sua visão eles não seriam criaturas de Deus, como os humanos. Striker lidera secretamente um grupo de pessoas chamados de Purificadores, que tem a missão de eliminar todos os mutantes do país. Depois de um debate sobre a questão mutante com o Professor Xavier, no seu programa transmitido pela TV, Striker consegue capturar os líderes da equipe dos X-Men e resta aos membros remanescentes com a ajuda de Magneto impedirem os planos do fanático religioso. 
"Deus Ama, o Homem Mata" apesar de ser uma história antiga, ao mesmo tempo é bastante atual no que se refere a questões e imposições religiosas e tambem à luta contra os preconceitos e ao ódio pelas pessoas por serem diferentes.
Leitura indispensável! 
Para melhor visualizar a HQ, o Universo Degenerado recomenda o programa CDisplay.

terça-feira, 3 de julho de 2018

SUPERMAN: Entre a Foice e o Martelo

Mais uma grande história que se passa em uma realidade alternativa, uma das chamadas "Else Worlds" da DC, que foi publicada em 2003 com o nome original "Superman Red Son". 

Aqui temos a nave Kryptoniana trazendo Kal-El à Terra, caindo em uma fazenda coletiva na União Soviética. Tem muito da nossa realidade na hisória, mas começa a ficar bem diferente à medida em que a União Soviética revela a sua nova "arma", o Super-Homem, fazendo com que a corrida armamentista nuclear da Guerra Fria se torne uma corrida armamentista de super-seres.

Escrita pelo grande Mark Millar, "Superman: Entre a Foice e o Martelo" traz uma trama espetacular e é considerada por muitos uma das melhores histórias do Homem de Aço. Leitura obrigatória para quem gosta de quadrinhos.

Para melhor visualizar a HQ, o Universo Degenerado recomenda o programa CDisplay.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

DEADPOOL 2 - Resenha (Com SPOILERS)

Aproveitando a ocasião do lançamendo de Deadpool 2, vamos estreiar aqui não só uma "seção" de resenhas, além dos nossos comentários do canal, mas também uma parceria com o Blog "A Ciência da Opinião", do amigo Ricardo Pagliaro Thomaz! Vale muito a pena conferir as resenhas que ele escreve sobre filmes, séries, quadrinhos, livros, jogos... 
Confiram la! ➤ A CIÊNCIA DA OPINIÃO


Por: Ricardo Pagliaro Thomaz

Quando eu vi o primeiro filme do mercenário tagarela, lá de volta em 2016, eu pensei que eu, meu irmão e minha esposa iríamos ser expulsos do cinema, tamanha as risadas altas de hiena que a gente dava na sala. Foi com certeza um dos filmes de super-herói mais engraçados e divertidos que eu já vi na vida! Ao terminar o filme, a sensação era de êxtase com as piadas, as referências, e tudo aquilo que fez desse filme, na minha opinião, o melhor filme de hqs daquele ano. Eu até comprei o DVD do filme para curtir ele em casa, só pra você ter uma ideia de como ele me agradou.

Por mais que o segundo filme seja muito legal sim, divertido, engraçado e tenha diversas sequêcias bacanas de ação, muitas referências, e por aí vai, ele não é TÃO engraçado, TÃO divertido, TÃO bacana quanto o primeiro. E tem também uma chatissezinha ou outra, mas não interfere na diversão.

Na trama, que já começa zoada, fazendo graça com o filme Logan, o mercenário começa se explodindo. Literalmente! Ele se deita em um monte de barris de combustível e se explode lá mesmo, dá pra ver as suas partes voando. Aí a gente volta no tempo e descobre o porquê de tudo isso. Rolam os créditos iniciais, e... opa... é uma abertura de James Bond!... tem uma abertura estilo James Bond no começo do filme, ha ha ha! Então a gente descobre que por causa de um erro do mercenário, sua namoradinha morreu, e foi por isso que ele quis se explodir. Só que ele é achado pelo Colossus e alguns outros X-Men e levado para a mansão do Xavier, onde ele fica durante um tempo.

Lá, ele é aceito como um "estagiário" de X-Men! Só que ele ferra a parada toda, e decide formar o seu próprio time de mutantes chamado X-Force. Eis que aparece na história, Cable. Sim, Cable, o viajante do tempo durão dos quadrinhos. Eu era um dos que estava doido pra ver o que iriam fazer com o Cable, e pra minha felicidade, o personagem ficou muito bem caracterizado. Um dos personagens mais bacanas dos quadrinhos da Marvel, Cable volta no tempo, para a nossa época, para acertar umas contas com Wade Williams e seus comparsas, mas as coisas acabam tomando um outro caminho.

A personagem Domino também ficou ótima! Mudaram ela no filme, onde ela é negra, mas em termos de personalidade, ficou muito semelhante à das hqs. Ponto positivo para o filme, que manteve os traços principais da personagem que não deveriam ser mexidos.

Há piadas no filme que são muito boas! Por exemplo, uma hora, o Cable é questionado por que ele não consegue viajar no tempo, e a resposta dele é meio esfarrapada, o que fez o Wade quebrar a quarta parede e comentar com a gente "pessoal, isso é só roteiro molenga", ha ha ha! Teve também um confronto entre ele e o Cable e numa hora em que o viajante temporal parecia mais ameaçador, o Wade comenta "você é tão sombrio, tem certeza que não é do Universo DC?", ha ha ha! E essa não é a única piada com a DC! Tem outra hora que ele volta para a casa da Althea e comenta que demorou porque conheceu a mãe de um de seus adversários "que também se chamava Martha". Puta, velho! É, Snyder, guenta a zoeira agora, rapaz! E nas cenas entre-créditos tem mais, muito mais! Tem uma zoeira a respeito do Wade Williams lixoso do primeiro filme do Wolverine, acredite! Tem outro momento que ele zoa o Lanterna Verde de novo! Não saia correndo da sala, você tem que ver!

A ação ficou realmente excelente, melhor até do que no primeiro filme. Ainda é um filme do Deadpool, mas com muito mais efeitos que possibilitaram os realizadores ousarem mais.

Mas também teve problemas, como eu disse. Quando as piadas do Deadpool funcionavam, elas funcionavam, quando não funcionavam, era bem estranho. Quando estamos na mansão do Xavier, tem um retrato do Karl Marx na parede. Isso realmente emporcalhou o filme. E é irônico, uma vez que o Marx era um cara que viveu como um sanguessuga e bolou um monte de teorias furadas que só lunático acredita, além do que ele pregava a tal luta de classes, o "nós contra eles", o que é estranho, visto que a intenção de Xavier e os X-Men é justamente unir a raça humana e os mutantes, e acabar com o preconceito, e não fomentar mais preconceito, que é justamente o que o Marx faz.

Tem também umas horas em que o Deadpool acaba dando uma de "justiceiro social". Bom, uma vez que ele tem o status de anti-herói no universo da Marvel, pode até combinar ele cometer esses deslizes, pois além de não segurar a boca, ele não tem um juizo perfeito. Claro, o filme nessas horas também se ocupa de zoar os tais "justiceirinhos sociais", mas o problema é que isso acabou gerando justamente aquelas piadinhas que não tem graça nenhuma, como na hora em que ele critica o nome da equipe do Xavier, "X-Men", mas muito embora a gente saiba que isso é uma tremenda zoeira na cara com o "politicamente correto", fez com que o Deadpool deixasse de parecer o personagem legal que vinha se apresentando até agora, pra se tornar um chato de galocha. Exemplo, é uma das cenas finais, que uma das X-Men simplesmente diz que ela e a equipe dela eram X-Men, e o Deadpool retruca "vocês são X-People", e ela esbraveja "e você é X-austivo". A zoeira até que é bacana, mas coloca o Deadpool exatamente na posição do chato, o que fica sendo algo negativo ao meu ver.

Enfim, há outros personagens que eu sempre gostei do universo dos X-Men e que eu esperava faz muito tempo para ver, como o Juggernaut, aqui no Brasil conhecido como o Fanático, e é muito bacana quando ele e o Colossus quebram o pau. Essa foi uma das melhores batalhas do filme. As idas e vindas do Deadpool no mundo dos mortos também foram bacanas, e existem momentos dramáticos no filme que são bem feitos, mas como eu disse antes, eu esperava ser algo bem mais divertido do que foi, muito maior do que foi o primeiro Deadpool, e acabou não sendo.

Mesmo assim, com todos os deslizes, eu ainda gostei do filme, achei uma sequência bacana, e recomendo o filme para todos. Vamos ver daqui pra frente o que eles vão fazer com o personagem. Neste filme aqui, já há a intenção de colocar ele de forma bem mais integrada com os X-Men, tanto é que a gente viu eles como personagens de fundo lá no filme, mas ainda não fizeram isso. Devem estar caminhando em doses pequenas para chegarem nesse fim. Ou talvez não, vamos ver, porque a Marvel Studios parece ter conseguido o direito de usar os mutantes em seus filmes daqui pra frente, então não sei se eles vão terminar a série dos X-Men da Fox e focar no MCU, ou se vão rolar dois universos mutantes paralelos daqui em diante; é esperarmos pra ver.

Deadpool 2 (2018)

Produção: Simon Kinberg, Stan Lee, Jonathon Komack Martin, Rhett Reese, Ryan Reynolds, Lauren Shuler Donner, Aditya Sood, Paul Wernick
Roteiro: Rhett Reese, Paul Wernick, Ryan Reynolds (baseado em personagem criado por Rob Liefeld e Fabian Nicieza)
Trilha sonora: Tyler Bates

segunda-feira, 7 de maio de 2018

ROCKETEER - Grafic Novel

"Rocketeer" se passa no final dos anos 30 e é a identidade secreta de Cliff Secord, um piloto de acrobacias que após um acidente, encontra um protótipo de mochila a jato roubado, que estava sendo procurado pelo FBI e tambem varios bandidos. 

Criado pelo roteirista e desenhista Dave Stevens, a primeira apariç
ão do personagem foi em 1982, sendo esta Grafic Novel, publicada pela Editora Abril em 1989

Rocketter tambem é bastante conhecido pelo filme, lançado em 1991 onde é mostrado com bastante fidelidade ao original dos quadrinhos! - Trailer

Pra quem gosta de quadrinhos clássicos é uma boa dica de leitura! 
[DOWNLOAD]
Para visualizar melhor a HQ, o Universo Degenerado recomenda o programa CDisplay.